decoração da área interna da casa, além de exercer uma função estética,  deve ser funcional. Afinal, é bom chegar em casa e se deparar com um lugar acolhedor, cheio de objetos e móveis que nos remetem a muitas histórias e sensações boas, não é mesmo?

Se você está buscando soluções para ampliar espaços, acertar nas cores e melhorar a iluminação, conte com as dicas que preparamos neste post e deixe sua casa ou apartamento ainda mais interessante!

1. Analise o que tem antes de ir às compras

Quando decidir mudar a decoração da área interna, não saia trocando os móveis sem um propósito! Deixe todos no lugar e faça uma lista avaliando tudo o que contém no ambiente, separando-os da seguinte maneira:

  • itens em bom estado que continuarão na decoração;
  • itens em mau estado que poderão continuar depois de uma reforma;
  • itens em bom estado que não têm serventia;
  • itens em mau estado que serão retirados da casa.

Agora sim você poderá elaborar um projeto eficiente para a decoração da área interna com base no que já tem em casa e vender os itens que não vai mais usar. Além de colaborar com o seu orçamento, sempre tem alguém buscando um móvel de segunda-mão.

Muitas vezes, o que mantemos nos diz a linha de decoração a ser seguida. Com essa informação nas mãos, é hora de planejar a reforma dos outros móveis e, só depois, verificar se existe a real necessidade de comprar mais objetos.

2. Acerte no uso das cores

Você sabia que as cores influenciam o humor das pessoas? Por isso, é fundamental escolher os tons adequados para cada cômodo. Lembre-se: cores vibrantes estimulam o pensamento acelerado e as neutras despertam a tranquilidade.

Como cada espaço demanda uma sensação diferente, trabalhar as cores de forma inteligente é essencial para compor uma atmosfera fluida e dinâmica em toda a casa ou apartamento.

É importante pensar que as cores mudam seu tom conforme a iluminação. A luz branca clareia a tonalidade e a amarela intensifica. Portanto, na hora de testar algumas opções, confira o seu comportamento tanto na luz natural, como na artificial.

O teste é simples: em uma cartolina, pinte todo o espaço com a "tinta teste" e pendure-a na parede. Essa atitude mantém sua parede limpa, caso não goste da cor e queira testar outras. Isso contribui para evitar sustos ou arrependimentos que são normais quando não se aplica um teste da maneira correta.

Combinar as cores resgata a vida da decoração da área interna, por isso, tenha à disposição um círculo cromático. Essa ferramenta é composta por 12 cores, sendo três primárias, três secundárias e seis terciárias, que auxiliam na harmonização dos tons. As combinações mais utilizadas são:

  • complementares: encontram-se em lados opostos no círculo. A relação entre elas traz forte energia ao lugar, principalmente em alta saturação.

  • tríades: estão em três lados equidistantes no círculo, produzindo muito contraste, mesmo em baixa saturação, mas sem perder a harmonia.

  • análogas: são três cores que se encontram ao lado umas das outras no círculo. Essa mistura traz tranquilidade ao espaço.

Falar sobre cores não nos remete apenas às paredes, mas também à maneira como elas são aplicadas. Seja nos acessórios decorativos, armários ou quaisquer outros elementos, os tons devem ser pensados para não correr o risco de deixar a casa sem vida ou exageradamente colorida.

3. Utilize espelhos com moderação

O espelho é um grande aliado na ampliação visual e, se usado com moderação, cria efeitos incríveis, transformando aquele cantinho simples em um belo destaque. A dica é não posicionar um espelho em frente ao outro, pois isso gera uma visão infinita totalmente desconfortável.

4. Instale uma boa iluminação

Garantir uma excelente iluminação natural com janelas amplas e cômodos integrados é sensacional! Porém, devemos nos preocupar com a distribuição das luzes artificiais para evitar zonas escuras.

Atualmente, a iluminação também cumpre a função de decoração, além de ser um item voltado também para a segurança dos moradores. Por meio da combinação de lâmpadas diferentes e inúmeras aplicações, é possível criar atmosferas sofisticadas e muito aconchegantes.

5. Tenha as medidas sempre em mãos

Decidiu comprar móveis novos para a decoração da área interna? Ótimo! No entanto, tenha certeza de que mediu todas as dimensões dos cômodos e já tem ideia de como ficará o resultado dessa renovação no ambiente. Planejamento é muito importante nesse momento.

Não é preciso ser expert em decoração e criar um projeto superprofissional em softwares de design. Existem alguns aplicativos que colaboram na hora de iniciar o projeto de decoração. Utilize-os a seu favor.

6. Elimine objetos desnecessários

A decoração de um espaço precisa harmonizar estética com funcionalidade. Um sofá cheio de almofadas é muito bonito, mas se esses elementos dificultam a limpeza, é melhor optar por deixar o visual mais clean.

Em uma época onde “menos é mais”, o estilo minimalista é a melhor alternativa. Mesmo porque, um lugar com diversos vasos, quadros e enfeites resulta em um visual cansativo. Nada impede que esses elementos apareçam na decoração, mas opte pelo equilíbrio e mantenha apenas o que você realmente precisa.

É bem comum acumularmos alguns móveis sem serventia, entretanto, se não existe funcionalidade, por que não se desfazer deles? Caso o motivo de mantê-los na casa ou no apartamento seja uma conexão emocional, a restauração é a melhor solução para renovar as energias.

7. Fuja do lugar-comum

Sabe quando você aceitou o estilo minimalista e retirou muitos dos seus quadros da decoração da área interna? Para não se desfazer deles, usá-los como bandejas é uma excelente forma de fugir do óbvio e ainda deixar as confraternizações descontraídas e sofisticadas.

Usar cadeiras pé palito de cores diferentes na mesa da sala de jantar cria uma atmosfera vintage e moderna ao mesmo tempo. Uma outra ideia é utilizar puffs como mesas de centro. O importante é repensar novos papéis para os objetos.

8. Consulte um profissional

Por incrível que pareça, contratar um profissional para realizar a decoração da sua casa ou apartamento pode poupar uma boa grana. O risco de erros é menor, e ele será capaz de selecionar elementos decorativos atemporais, ou seja, que não perdem valor estético em pouco tempo.

O olhar de um profissional já está treinado para dizer o que precisa ser alterado no lugar. Além disso, ele vai elaborar um plano de ação para determinar o que será reaproveitado ou retirado, proporcionando bem-estar e qualidade de vida a todos os moradores.

O que você achou dessas dicas para decoração da área interna? Interessante? Então compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a dominarem o assunto, assim como você fez.