Quem nunca ficou procurando alguma coisa por horas no armário ou deixou de usar alguma roupa porque, na pressa de se arrumar, não conseguiu encontrar o que queria no meio da bagunça? Utilizar técnicas para organizar o guarda-roupa é a melhor saída para nunca mais passar por esse problema!

Até as atitudes básicas e intuitivas, como o posicionamento de cabides ou organização por cores, por mais que pareçam pequenas, podem causar grandes mudanças na percepção que você terá das suas próprias roupas, sapatos e acessórios, além de valorizar a decoração de interiores do seu quarto.

Pronto para começar a organizar o guarda-roupa? Aprenda neste post 8 maneiras práticas para começar já! Continue a leitura e confira.

1. Mantenha os cabides na mesma orientação

Procure posicionar os ganchos dos cabides com suas aberturas sempre voltadas para a parede de fundo do armário. Parece básico, mas essa disposição facilita bastante o manuseio das peças, especialmente no momento de retirada para uso.

Se possível, padronize os tipos de cabide pelas mesmas cores, material e tamanhos. Mas atenção: invista nos modelos práticos e fáceis de encontrar, caso contrário, haverá complicações para manter essa padronização.

Para itens mais pesados, como vestidos de festa, ternos ou casacos, por mais que sejam diferentes dos demais, prefira cabides específicos, pois eles sustentam melhor e ajudam a manter a estrutura das roupas.

2. Distribua as peças por cores

É a dica mais básica de todas. Caso ainda não a tenha colocado em prática, faça o quanto antes. Além da satisfação pessoal causada pela visualização de um gradiente de cores sempre que você abrir o guarda-roupa, impede que você perca completamente de vista peças como regatas ou blusas com alças finas — simplesmente poderá deduzir onde estão pela cor!

Se tiver dúvidas por onde começar, seu gradiente pode partir dos claros, seguindo para estampados e por último para os tons escuros, ou como em uma caixa de lápis de cor. Essa atitude simples certamente vai fazer suas roupas parecerem ainda mais bonitas.

3. Separe as roupas por tipos

Blusas nos cabideiros superiores e calças, bermudas e shorts nos inferiores. Se o seu guarda-roupa contar com uma seção de maior altura entre o cabideiro e a prateleira inferior, reserve-a para vestidos, dividindo-os entre curtos e longos. Evite misturar diferentes tipos de peça, não apenas por estética, mas também por praticidade.

Peças frágeis ou delicadas em cabides devem contar com uma proteção adicional para evitar que o contato com outros itens ou manuseio apressado prejudiquem os detalhes de costura ou aplicações. Aposte em capas plásticas ou de tecido, com pequenas aberturas para não abafar as roupas.

Organize as gavetas e prateleiras de acordo com o mesmo princípio. Separe uma para as roupas íntimas, meias e itens de praia: tome cuidado ao dobrar para não amassar bojos e evite perder o elástico das meias fazendo bolinhas, por exemplo. O mesmo vale para pijamas e camisolas.

As roupas fitness também vão numa prateleira ou gaveta exclusiva, preferencialmente dobradas e enfileiradas ao invés de empilhadas — dessa maneira, ao retirar uma peça, a organização das demais não será prejudicada.

4. Organize e conserve os sapatos

Na pressa do cotidiano, é muito comum que os sapatos fiquem amontoados. No entanto, essa prática pode acabar amassando e arranhando os calçados, prejudicando seu design e sua usabilidade. Separe os pares de sandálias, tênis, saltos e botas, um par ao lado do outro para que possa escolher com praticidade qual vai usar a cada ocasião.

O ideal é ter um móvel exclusivo para o armazenamento de sapatos. Apesar disso, é muito comum encontrar guarda-roupas que já integrem sapateiras. Em ambos os casos, após o uso, permita que os calçados fiquem do lado de fora para respirar por algumas horas e sempre limpe as solas com um pano úmido, antes de guardar.

Botas de cano longo devem ser armazenadas com enchimento para evitar a deformação, e as peças de couro precisam receber hidratação periódica. Tais atitudes beneficiam não só a limpeza e a organização, como também conservam os sapatos por muito mais tempo.

5. Preserve espaços vazios

Ter alguns locais vazios em prateleiras, cabideiros e gavetas proporciona uma sensação sem igual para aquele momento em que você chega com um item recém-comprado. Ainda que pareça impraticável, é bastante possível quando você se propõe a, periodicamente, organizar o guarda-roupa ou fazer descartes.

Essa é, assim como a própria organização em si, uma maneira de se estimular a comprar menos e aproveitar melhor o que você já tem, fazendo novas combinações, reformando ou ajustando peças antigas. Seu bolso agradece!

6. Invista em organizadores

Existem organizadores para qualquer coisa, hoje em dia. De gravatas e cintos a sapatos, roupas íntimas, acessórios, meias, o que você desejar. Os do tipo colmeia, em tecido, são ideais para gavetas com itens de vestuário pequenos e delicados.

As caixas organizadoras rígidas são excelentes para dispor maquiagem ou outros cosméticos. Você mesmo pode fazer as suas com papelão ou comprá-las prontas, desde que contem com divisões internas suficientes para cada tipo de objeto, de modo que não fiquem todos jogados numa caixa única — situação que pouco contribui para o objetivo de organizar.

Cestos ou caixas maiores, sem divisões internas, são boas para guardar roupas de cama, casacos robustos ou até mesmo vestidos de festa ricos em bordados e pedrarias. Assim, ficam protegidos os tecidos, a estrutura das peças e é mais fácil de achar cada item. Para não se perder, cole etiquetas nas caixas e especifique o conteúdo de cada uma.

7. Deixe as peças de uso frequente ao alcance

Roupas de trabalho ou de passeio usadas rotineiramente merecem ficar sempre à vista, para que você possa encontrá-las sem dificuldades. É possível realizar um revezamento de cada conjunto de peças de acordo com cada estação do ano, visando a mesma praticidade.

No entanto, roupas de uso mais específico ou raro devem ser mantidas nas prateleiras mais altas: invista em embalagens a vácuo para economizar espaço e em caixas com orifícios ou embalagens de tecido para permitir que as peças respirem.

O mesmo vale para malas, sacolas e bolsas que não são muito usadas. Proteja-as com capas destinadas a cada item — são muito fáceis de encontrar em lojas de utilidades para casa.

8. Guarde a roupa de cama e banho por conjuntos

Para evitar ter que revirar toda a prateleira destinada a roupas de cama para achar uma única fronha desaparecida, dobre os lençóis e capas de travesseiro de cada conjunto em formatos e tamanhos semelhantes, mantendo-os juntos. Para maior precisão, coloque as fronhas entre os dois lençóis, ou fronhas e lençol de elástico dentro do de cima, formando um pacote.

Mantas e edredons podem ser enrolados e empilhados para economizar espaço, de maneira que você possa visualizar facilmente as peças que tem. O mesmo para as toalhas: as de corpo e rosto que formam pares podem ser enroladas juntas. As de mão, por serem pequenas, podem ser dobradas da forma convencional.

Dica bônus: pratique o desapego

Pelo menos uma vez ao ano, categorize as peças para selecionar o que fica e o que sai: jogar fora as roupas sem conserto ou muito gastas, doar as que não quer mais, mas que estão em boas condições de uso e, por último, manter as que servem bem. Além de abrir espaço para novas aquisições, ao doar, você pratica uma boa ação. A sensação é incrível!

Depois de todo esse trabalho, é fundamental manter a organização diariamente. Combine tudo com seus familiares ou funcionários em casa: pode parecer difícil no começo, mas, aos poucos, todos se acostumarão à nova rotina. Caso deseje, é sempre bem-vindo refazer a organização para que se adeque aos seus novos hábitos.

E então, já sabe tudo sobre como organizar o guarda-roupa de forma eficiente e bonita? Gostou do nosso conteúdo? Para receber mais dicas e posts, curta nossa página no Facebook!